http://www.reginaldomarinho.com.br/wp-content/plugins/simpleCAPTCHA/gdimg.php Reginaldo Marinho » Correio PB

Reginaldo Marinho

/\/\/\/\/\”As estruturas são a materialização das forças que atuam em um projeto.” Pier Luigi Nervi /\/\/\/\/\

---

Correio PB

Correio da Paraíba

Tecnologia para o dia-a-dia
Robô substitui empregada doméstica e cadeira de roda pode ser movida pela força do pensamento



Você tem alguma idéia de como será o nosso cotidiano no futuro? Levando em consideração os bilhões de anos de idade da terra, podemos dizer que há pouco tempo, cerca de 500 mil anos, o homem aprendeu a dominar o fogo e “uma dia desses”, em 1876, inventou o telefone. Em 1990, chegava ao Brasil o primeiro celular e hoje é possível ir para qualquer lugar do mundo conectado à internet, através de um computador de mão, o palm top, e robôs prometem facilitar cada vez mais o nosso cotidiano. Para quem gosta de assistir a desenhos animados futuristas, como “os jetsons”, é fácil imaginar robôs substituindo empregadas domésticas.

O inventor paraibano Reginaldo Marinho, já participou de diversas exposições consagradas mundialmente em termos de novas tecnologias e já viu invenções vindas de vários locais do planeta. Não é possível prever o futuro, mas levando em consideração o cada vez mais rápido desenvolvimento tecnológico que acompanhamos, ele arrisca alguns palpites de como será a vida do “cidadão comum” daqui a alguns anos.
O inventor explica que o futuro científico terá como grande aliado uma tecnologia capaz de penetrar na cadeia molecular das estruturas de substâncias e sólidos, reformulando ou criando novos materiais: é a nanotecnologia. Segundo ele, o Brasil participa do universo de 25 países que trabalham com nanotecnologia atualmente, sendo o único da América Latina.

Ele ressalta que a nanotecnologia tem uma tendência fundamental em desenvolver a simplificação dos materiais, deixando-os mais leves, resistentes e proporcionando aos usuários economia de tempo, de espaços e de dinheiro. Ele sugere que as casas serão construídas com plástico ou outro material semelhante, ainda não inventado, ao invés madeira, concreto ou metal. Suas formas arquitetônicas serão arredondadas com portas e janelas eletrônicas e robôs para fazer serviços domésticos, como varrer casa. Hoje em dia, já estão sendo utilizados robôs capazes de cortar grama, movidos por energia solar. Também já existem sistemas que podem reconhecer o horário e a condição de umidade ideais para se acionar a irrigação no jardim, permitindo que o proprietário simplesmente desfrute, sem se preocupar em manter sua área verde.

Sensores da Nasa para cegos

Uma tecnologia está sendo desenvolvida pela Nasa para criar sensores que possam restaurar a capacidade de enxergar de alguns deficientes visuais. Outros estudos estão sendo feitos por pesquisadores da Universidade da Flórida, nos Estados Unidos, a fim de desenvolver um computador “vestível” para deficientes visuais e indivíduos com visão parcialmente comprometida. Com o equipamento, as pessoas serão conduzidas a seu destino e alertadas sobre obstáculos no trajeto.

Celular com espessura de cartão

TVs com telas de plasma já estão sendo desenvolvidas e celulares com funções de máquina fotográfica e computador podem ser encontrados em várias lojas. Futuramente, eles terão a espessura de um cartão de crédito. Outra invenção que proporcionará melhor qualidade vida para deficientes físicos é uma cadeira de rodas que permite ao usuário ficar de pé. A invenção tem as dimensões de uma cadeira de rodas comum e o deficiente poderá olhar as pessoas na mesma altura, melhorar a circulação sangüínea e amenizar alguns males causados por um grande tempo de permanência sentado, como problemas renais e vesiculares, feridas de decúbito - escaras, osteoporose pela compressão óssea e espasmos musculares. Essa cadeira de rodas é fruto de vários anos de pesquisa dos designers da UFRJ, Carlos Mauricio da Costa Ramos e Ricardo da Cunha Fontes.

Indivíduos paralíticos em decorrência de lesões da medula espinhal também serão ajudados pela medicina do futuro. Graças a descobertas fundamentais sobre os fatores que impedem a reconstrução da medula e como combatê-los, a neurociência já sabe como recuperar a medula em ratos.

CARRO A AR, ÁGUA E HIDROGÊNIO

 
Provavelmente em alguns anos, carros “andarão voando”, mas antes disso, o inventor Reginaldo Marinho acredita que os carros serão movidos a ar ou água. “O hidrogênio é dos mais importantes combustíveis conhecidos e é utilizado em motores de propulsão, para missões espaciais. Retirando o hidrogênio da fórmula da água, podemos ter um dos combustíveis mais baratos do planeta, já que a Terra tem 2/3 de sua superfície coberta de água”, explica.

O ambientalista e inventor francês Guy Negre construiu e vem tentando lançar no mercado um carro movido a ar comprimido, que não provoca combustão e, conseqüentemente, não polui o meio ambiente. Segundo Negre, o ar que sai do cano de descarga é mais limpo do que o que entra, devido à ação de um filtro interno. O carro será pequeno, simples de estacionar, próprio para grandes cidades, e com a ajuda de um compressor elétrico, ele poderá ser reabastecido em casa.

Tecnologia permite comunicação telepática

Outro avanço bem provável na comunicação, diz o inventor Reginaldo Marinho, serão as conversas extra-sensoriais, por telepatia, a serem conseguidas com o estímulo de determinadas áreas cerebrais, proporcionadas pelo desenvolvimento da medicina.

A nanotecnologia, segundo Reginaldo, também permitirá a fabricação de peças moleculares para computadores, deixando-os cada vez menores e mais poderosos. Pesquisadores da inteligência artificial como Marvin Minsky e Herbert Simon acreditam que, devido aos avanços tecnológicos, os computadores serão capazes de tudo, haverá, inclusive, máquinas com a genialidade de Einstein e de Proust. Os computadores terão papel fundamental na educação, já que, provavelmente, cada estudante terá o seu próprio computador portátil em substituição da mochila cheia de livros.

O inventor paraibano acredita que, em poucos anos, a transmissão de energia será realizada por meio de fibras óticas. Atualmente, são por intermédio de cabos de alumínio, que gera uma perda de 30% de energia. “A diminuição do desperdício também é uma meta da tecnologia”, afirma. A instalação de alguns sistemas já permitem que o ar condicionado seja desligado quando portas e janelas são esquecidas abertas e luzes podem ser acesas ou apagadas apenas com a presença de alguém em determinado local ou quando o usuário passa sua chave ou crachá, indicando que está fora ou dentro do prédio.

 

No comments yet. Be the first.

Leave a reply